Bia Neres: mãe, triatleta e o sonho da vaga nas Olimpíadas de Tóquio

Beatriz Neres, 33 anos, mais conhecida por Bia, é triatleta profissional desde 2012. Pode até parecer pouco tempo, mas até hoje coleciona premiações importantes no esporte. A integrante da Seleção Brasileira de Triathlon é medalhista de ouro nos Jogo Sul-Americanos (2014), campeã brasileira de Sprint Triathlon (2015), campeã do Troféu Brasil (2014), campeã da Pan América Cup (2015) e medalhista na Copa do Mundo, no México (2017). Quem observa a intensa rotina de oito horas diárias de treino, mal imagina que a triatleta ainda encontra tempo para acompanhar os primeiros passos da primogênita Bella, de 3 anos, ao lado do marido, o nadador olímpico, Daniel Orzechowski.

 “Engravidei nas vésperas das Olímpiadas de 2016 e precisei adiar o sonho de representar o Brasil nos Jogos Olímpicos para realizar o de ser mãe”, conta. Por isso, depois do nascimento de Bella, toda sua preparação está voltada para o antigo - e jamais esquecido - sonho de disputar o maior e mais importante evento esportivo do planeta, cujo o próximo será em Tóquio, em 2020.

Natural de Santos, Bia Neres é filha única e publicitária por formação. Começou a competir na modalidade esportiva que une natação, bicicleta e corrida aos 23 anos de idade, ainda como amadora. Com os excelentes resultados, em 2012 foi convidada pelo Esporte Clube Pinheiros para integrar a equipe profissional do clube. E não parou mais.
Embora hoje a rotina de triatleta profissional seja focada em representar o Brasil em campeonatos pelo mundo, Bia relembra o início, quando ainda era atleta amadora e precisava dividir a rotina de trabalho em uma agência de publicidade, com a de treinos - muitas vezes realizados no horário do almoço.  “Essa é uma das grandes dificuldades do atleta amador. Mais do que horas diárias de treinamento, no início, é extremamente importante que ele adquira o hábito de treinar, com constância e o ritmo diário”, explica.

Gravidez no esporte
Durante a gravidez, Bia manteve o ritmo de treinos, pedalando na bicicleta ergométrica e fazendo musculação. Por recomendação médica, a atleta deixou de lado apenas a corrida -- por ser um esporte de mais impacto. Bastante condicionada, observou o corpo voltar ao que era em pouco tempo. Logo, a rápida recuperação resultou em uma série de novos troféus. Em 2017, Bia foi campeã do Triathlon Internacional de Santos, campeã do 70.3 Ironman Palmas (TO), campeã do Pro Series, campeã da 3ª Etapa Circuito UFF Rio e vice-campeã Sul-Americana. “Tenho a sorte de contar com a ajuda do meu marido e da minha família nos cuidados com a Bella, mas sei que a gravidez me tornou ainda mais forte”. E alguém duvida?

Fonte: Beatriz Neres - integrante da Seleção Brasileira de Triathlon.